Por que treinar melhora o humor?

Se você é daquelas pessoas que adora uma boa corrida, passar um tempão na academia ou praticar um esporte com os amigos por horas, sabe a sensação boa que essas atividades podem trazer, né?

E se você algum dia já pulou de paraquedas, desceu um rio fazendo rafting ou surfou em grandes ondas, você deve saber muito bem que esportes radicais dão não só um friozinho na barriga, como também uma sensação de prazer.

Mas será que praticar esportes ou treinar na academia realmente podem viciar? Mesmo que não viciem, será que eles ao menos melhoram o nosso humor?

Como de costume, a gente foi atrás da ciência pra poder responder essas e outras dúvidas. Então, pra começar, a gente precisa explicar o que são os sistemas nervosos simpático e parassimpático.

O sistema nervoso simpático é responsável pelas nossas reações de luta ou fuga, respondendo a estímulos de receptores como os da adrenalina. É ele quem prepara o seu corpo para enfrentar situações de perigo, estimulando a liberação de glicose no sangue, acelerando os batimentos cardíacos e enviando mais sangue pros músculos, por exemplo.

Não vamos aprofundar tanto sobre a adrenalina nesse artigo, mas se você quiser entender melhor o que é a adrenalina e qual o efeito que ela tem no seu corpo, a gente já fez um artigo focado nesse assunto! Já o sistema nervoso parassimpático é responsável pelas reações “descansar e digerir”, ou seja, ele prepara o seu corpo para situações de relaxamento.

Ele é basicamente oposto ao sistema simpático: quando você estimula um, acaba inibindo o outro. Mas o que tudo isso tem a ver com a prática de exercícios físicos? Na verdade, muita coisa! Quando praticamos um esporte, nosso sistema nervoso simpático é ativado. A partir daí começa uma cascata de produção de hormônios e neurotransmissores.

Hormônios são moléculas usadas para regular ações na corrente sanguínea, enquanto neurotransmissores são moléculas usadas na transmissão de impulsos elétricos entre neurônios. Na prática, a ação neurotransmissora é sempre mais rápida que a hormonal, pois é quase instantânea. A adrenalina, por exemplo, é um hormônio na maioria dos casos, mas também possui ação neurotransmissora dependendo do lugar em que age.

Ela é formada através da quebra das moléculas de noradrenalina. Já a noradrenalina é formada através das moléculas de dopamina, um neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer e recompensa.

Ou seja, uma é um produto da outra. A noradrenalina (apesar de ser um neurotransmissor) forma junto com a serotonina e endorfinas um grupo chamado de hormônios da felicidade. Por isso que esportes melhoram o humor!

Esporte vicia?

Quando você treina ou pratica um esporte, ativa o seu sistema simpático e provoca toda essa cascata de produção hormonal! Tá, mas será que a prática de esportes realmente chega a viciar ou isso é só um mito espalhado por quem gosta de um exercício físico?

Bom…a verdade é que esse “vício” pode ser formado por alguns fatores, mas aqui vamos focar em três deles:

1) a sensação de bem estar por conta do bloqueio da dor;
2) a habituação
3) o acúmulo de dopamina.

Então vamos por partes para explicar cada um desses fatores. Quando você pratica um esporte ou faz um treino de maior duração e intensidade moderada, como uma corrida de meia hora ou uma partida de futebol com os amigos, libera endorfinas, que são hormônios relacionados ao prazer e à euforia.

Além de causar uma sensação de bem estar, essas endorfinas agem na mesma parte do sistema nervoso que interage com a morfina. Essa é a parte (do sistema nervoso) que bloqueia a dor quando é estimulada! Por isso que às vezes nos machucamos enquanto fazemos uma atividade física e só vamos perceber muito tempo depois, quando nosso corpo voltou pra um estado de repouso.

Com o passar do tempo, algumas pessoas começam a desenvolver uma certa tolerância à adrenalina, graças a um mecanismo de feedback que lembra quais efeitos esses hormônios tiveram no seu corpo.

No longo prazo, essa tolerância ganha o nome de habituação e tem correlação direta com a sensação de prazer. Por isso algumas pessoas passam a aumentar o tempo ou a intensidade do exercício, buscando ter essa descarga hormonal e sentir satisfação durante o treino.

Produção de adrenalina

O processo é o seguinte: Dopamina vira noradrenalina, que vira adrenalina. Pois é, quanto mais adrenalina na sua corrente sanguínea, fruto da prática de esportes mais intensos, mais difícil fica degradar e inativar ela.

Ou seja, uma hora tem tanta adrenalina, que começa a acumular dopamina, um neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer e recompensa. Tudo isso para dizer que: SIM!

Esportes de maior intensidade ou duração, além de fazerem muito bem pra sua saúde, podem sim melhorar o seu humor e até mesmo viciar! Seja porque você se diverte fazendo aquela atividade, seja porque os seus hormônios dão uma ajudazinha!

Em um extremo, é por isso que pessoas “viciadas em adrenalina” têm a tendência a praticar esportes radicais, como bungee jump, voo livre e escaladas. Mas não são só os esportes radicais que causam certo “vício”.

Como a gente comentou, praticar exercícios constantes como corridas longas já é o suficiente para desencadear a produção dos hormônios relacionados à sensação de prazer, de bloqueio da dor e de euforia. Inclusive é por isso que alguns estudos apontam que pessoas ativas que ficam algum tempo sem treinar podem se sentir irritadas, ansiosas e até mesmo ter insônia. Muitas pessoas utilizam-se da corrida como termogênico para emagrecer, confira mais aqui.

Mas a boa notícia é que se você sente que seu corpo começou a desenvolver uma certa tolerância aos efeitos dos hormônios, isso não traz nenhum grande malefício pra sua saúde!

Talvez você precise aumentar a intensidade ou o tempo de exercício praticado, mas sempre tome cuidado pra não exagerar, respeitando os limites do seu corpo!

Dar aquela corrida mais longa deixa vocês de bom humor depois? Vocês praticam esportes radicais? Quais? Nos contem nos comentários.